31 de julho de 2018

UNIÃO ISRAELITA SHEL GUEMILUT HASSADIM (UISGH) - EM ATIVIDADE DESDE 1840 NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO


A UISGH foi instalada, inicialmente, num sobrado da Praça da República, esquina da Rua Senhor dos Passos (20 anos: 1840-1860), no Centro do Rio de Janeiro

. Histórico:

histórico da União Israelita Shel Guemilut Hassadim (UISGH) confunde-se, na realidade, com a história do judaísmo no Rio de Janeiro. Na época do Império, por influência da Inquisição portuguesa, não era permitida a existência de cultos não católicos no Brasil. Não obstante, já se realizavam cerimônias religiosas judaicas nessa época, haja vista a notícia publicada no Diário do Rio de Janeiro, de I" de outubro de 1865: "Culto israelita os israelitas residentes na Corte celebraram ontem, num salão particular, a primeira cerimônia de seu culto, o Kipur ou Dia do Grande Perdão. "Na realidade a liberdade completa de culto só surgiu na primeira Constituição da República. Segundo os cálculos dos historiadores Egon e Frieda Wolff e de Fortunato Azulay, a Sinagoga da União Israelita Shel Guemilut Hassadim teria sido fundada em 1840 e, sem dúvida, seria a mais antiga Sinagoga do Rio de Janeiro. 




Com o crescimento do número de Congregados deliberou-se construir um templo próprio na Rua Rodrigo de Brito 37, no bairro de Botafogo, inaugurado em 7 de setembro de 1950

A UISGH foi instalada, inicialmente, num sobrado da Praça da República, esquina da Rua Senhor dos Passos (20 anos: 1840-1860). Transferiu-se sucessivamente para a Rua da Alfândega, 358 (40 anos: 1860-1900), Rua São Pedro, 300 (20 anos: 1900-1920), Rua do Lavradio, 90 (14 anos: 1921-1935), Rua Francisco Muratori, 33 (15 anos: 1935-1950) e finalmente para este Templo na Rua Rodrigo de Brito, 37 (58 anos: 1950 até o presente). O total de anos dessa Sinagoga é, até nossos dias, de 168 anos, o que equivaleria à sua fundação em 1840. Entretanto, não há dúvidas quanto à existência anterior de grupos de judeus realizando suas orações e que esses grupos foram os predecessores da U.I. S.G.H.
Vejamos o que nos narra a Enciclopédia Judaica (traduzida para o português em 1967): "Organizaram-na israelitas marroquinos com o objetivo precípuo de manter uma Sinagoga, primeiramente instalada num sobrado da Praça da República, esquina de Senhor dos Passos, após 20 anos, transferindo-se posteriormente para um salão maior na Rua São Pedro, 300. Em 10 de março de 1912, após uma cisão em que se afastaram principalmente os israelitas de origem francesa que haviam constituído uma Sinagoga à parte, a sociedade organizou-se como entidade jurídica. Terminada a I Guerra Mundial, a maioria das famílias filiadas à Sinagoga francesa retornaram à Europa, contribuindo para que as aqui remanescentes (tais como Moses, Kanitz, Wellish, Liebmann, Schlesinger) tornassem a ingressar na sociedade. Em 1921, a Sinagoga transferiu-se para a Rua do Lavradio, 90, e em 1935 para a Rua Francisco Muratori, 33. Com o crescimento do número de Congregados, que hoje ascende a 300, deliberou-se, sob os auspícios de Jomtob Azulay e Rafael Serruya, construir um templo próprio na Rua Rodrigo de Brito 37, inaugurado em 7 de setembro de 1950." 



O total de anos dessa Sinagoga é, até nossos dias, cerca de 178 anos, o que equivaleria à sua fundação em 1840

Chamamos a atenção para a publicação no Diário Official do Império do Brasil, ano XII, nº 21, de terça-feira, 28 de janeiro de 1873, que se refere à publicação do Decreto Imperial n" 5.202, assinado pelo Secretário de Estado dos Negócios do Império, João Alfredo Correa de Oliveira, e rubricado por S. Excia. o Sr. Imperador Pedro II, aprovando os estatutos (confeccionados em 1870) da primeira entidade oficial dos judeus, que se chamou União Israelita do Brasil. Esse estatuto é constituído de 41 artigos, cujo Art. f reza: "Esta Sociedade tem por fim socorrer todo o israelita que se achar em necessidade." É curioso que na leitura dos 41 artigos não se mencionou qualquer atividade religiosa. É compreensível que assim fosse, pois, à época do Império, estava proibida qualquer manifestação religiosa que não fosse católica. Cremos ser a maneira que os judeus da época, na sua maioria de origem franco-alsaciana, usaram para não despertar a intransigência religiosa imperial. Segundo os historiadores Egon e Frieda Wolff, esses judeus seriam refugiados da guerra-franco-prussiana daquela data. 
Eram eles inicialmente: J. Blum, G. Haas, Lucien Levy, Achille Oppeheim e Samuel Hoffman, aos quais se juntaram M. Brandon, Elkin Hime (ingleses) e J. E. da Costa Mesquita (portugueses). Sua primeira Diretoria ficou assim constituída (30 de junho de 1870): F. M. Brandão (presidente), J. Blum (vicepresidente), Lucien Levy (I" secretário), Achille Oppenheim (2" secretário), Samuel Hoffmann (tesoureiro). Ressalte-se que a U.I.B. fora fundada em 1870; entretanto, só em 1873 é que se tornou oficial pelo decreto n" 5.202 já referido. 
Ao que sabemos, a última Diretoria da U.I.B. data de 1889 e era constituída dos seguintes membros: Marx Rosenwald (presidente), E. S. Hanan (vice-presidente), A. Wellisch (tesoureiro), Isidoro Haas (1" secretário), Germain Bloch (2" secretário) e G. Haas, C. Haguenauer, Eugine Levy, E. Liebman e Henry Levy (conselheiros). 
Em relação à data de fundação da União Israelita Shel Guemilut Hassadim não há referências. Sabe-se apenas que sua Diretoria de 1882 era constituída pelos seguintes membros: Arthur Aron, Emile Levy, Henry Levy, Louis Oungre, Alberto Wellisch, Gabriel Brandon, E. Hanan, E. Liebman e E. Hime. Chamamos a atenção para o fato de que essa era a mesma diretoria da U.I.B. de 1881. Nessa diretoria já havia judeus marroquinos. É provável que a diretoria de 1882 permanecesse até 1997 quando surgiu nova diretoria. 

. Todos os Presidentes da U.I.S.G.H. desde 1882 até o presente: 

. 1882: Artur Levy 
. 1887: Isidoro Hass 
. 1888: Abraham Parente 
. 1889: Joseph Alcaim 
. 1911: Leão Abreu 
. 1912: Artur Levy 
. 1922/1960: Yom Tob Azulay
. 1960/1962: Dr. Rubem David Azulay
. 1962/1964: Abraham Benoliel
. 1964/1966: Dr. Rubem David Azulay
. 1966/1968: Dr. Eliezer Zagury 
. 1968/1970: Gen. Aarão Benchimol
. 1970/1972: Dr. Fortunato Azulay
. 1972/1974: Dr. Israelino Buzaglo
. 1974/1976: Dr. Menahem Miguel Benjó
. 1976/1978: Dr. Menahem Miguel Benjó 
. 1978/1980: Dr. Menahem Miguel Benjó
. 1980/1982: Messod J. Benzecry
. 1982/1984: Samuel Yoshua Levy
. 1984/1986: Menahem Miguel Benjó
. 1986/1988: Prof. Moysés Eshriqui
. 1988/1990: Gen.Abraham Ramiro Bentes
. 1990/1992: Dr. Rubem David Azulay
. 1992/1994: Dr. Menahem Miguel Benjó
. 1994/1996: Dr. Rubem David Azulay
. 1996/1998: Dr. César Benjó 
. 1998/2000: Dr. Rubem David Azulay
. 2000/2002: Samuel Anidjar 
. 2002/2004: Dr. Celso Benjó 
. 2004/2006: Dr. Sérgio Benchimol

A U.I.S.G.H. é entidade reconhecida de utilidade pública municipal, estadual e federal.


. Localização:

União Israelita Shel Guemilut Hassadim - União Israelita de Ajuda aos Necessitados

Rua Rodrigo de Brito 37, Botafogo -Tel. +55 (21) 2541-7449

 CEP 22280-100 - RIO DE JANEIRO - RJ

– Centro Cultural em construção –

CNPJ: 27.001.734/0001-41

. Fonte:


http://sinagogashel.com/historico.html




2 comentários:

Carlos Alberto Felix dos Santos disse...

Kol HaKavod pela bela história dessa Sinagoga que, Be'Ezrat HaShem, venceu as dificuldades para sua ereçao, durante o Império, época em que a liberdade de culto era, quando muito, uma precária concessão do estado, sujeita a inúmeras restrições. Não obstante, todos esses óbices, os Yehudim, conscientes de sua identidade; fiéis ao seu legado espiritual e às suas e multimilenares tradições religiosas, tendo em vista a preservação do seu sagrado patrimonio, envidaram o melhor de seus esforços para dotar a cidade do Rio de Janeiro de sua primeira Sinagoga,denominada União Israelita Shel Guemilut Hassidim, motivo de justo orgulho para todos que seguem, vivem e amam o Yahadut! Chazak Ubaruch! Shavuah Tov, queridos Achim ve Achot e que HaKadosh Baruch Hu prodigalize Suas bênçãos sobre essa histórica Sinagoga e sobre todos que, Be'Ezrat HaShem, têm o privilégio de frequentá-la!

Unknown disse...

Estou em buscar de conhecimento e vivencia judaica,mas vejo muita dificuldade em encontrar essas respostas e ajuda.