3 de dezembro de 2017

POR QUE SÃO ACESAS VELAS NO SHABAT (שַׁבָּת) (SÁBADO)?


"A Vela de D’us é a alma humana"


É considerada uma grande mitsvá (dever/obrigação) e responsabilidade honrar o Shabat (שַׁבָּת) acendendo velas 20 minutos antes do pôr-do-sol de sexta-feira à tarde. Este mandamento especial, confiado à mulher judia, é rico em significado e propósito. Em um mundo como o nosso, cheio de escuridão, as velas acesas pelas mulheres e meninas judias atraem luz, alegria e santidade. Um pouco de luz, dizem os nossos sábios, dispersa muita escuridão!
É muito importante saber o momento exato do “Horário da Velas”, porque não é permitido, de forma alguma, acender as velas depois do pôr-do-sol.
Mulheres casadas devem acender duas velas pelo menos, que correspondem às duas ordens de "Lembra do Sábado sagrado" (Êxodo 20:8) e "Observe o Sábado sagrado" (Deuteronômio 5:12), mas mulheres solteiras, e até mesmo meninas jovens, acendem só uma (em deferência às suas mães).





"Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D-us, Rei do Universo, que nos santificou com Seus mandamentos, e nos ordenou acender a vela do santo Shabat(שַׁבָּת)"

O procedimento: 

. Acenda as velas.
. Estenda as mãos, faça movimentos circulares em sua direção e cubra os olhos.
. Recite: Baruch Atá A-do-nai, E-lo-hê-nu Mêlech haolam, asher kideshánu bemitsvotav, vetsivánu lehadlic ner shel Shabat côdesh.
. Tradução: "Bendito és Tu, A-do-nai, nosso D-us, Rei do Universo, que nos santificou com Seus mandamentos, e nos ordenou acender a vela do santo Shabat".
A hora do acendimento das velas é auspiciosa para a prece particular. Enquanto seus olhos estão cobertos, reserve um momento para rezar por aquilo que seu coração deseja.
. Descubra os olhos e deseje toda sua família: “Shabat Shalom!” (A paz do Shabat!)

"A Vela de D’us é a alma humana"

Disse D’us: "Minha Vela (a Torá ) está na tua mão e a tua vela (a alma) está na Minha Mão; portanto, guarde a Minha Vela para que Eu guarde a tua vela."
Algo extraordinário acontece cada vez que você acende as velas em homenagem ao Shabat… você se sente vinculada a seu povo. É um costume que advém desde os tempos bíblicos. A Matriarca Sara acendeu uma lamparina que ardeu miraculosamente de Shabat a Shabat; a Matriarca Rivca recitou a bênção sobre a mesma lamparina, desde seus três anos de idade. É esta tradição de 3700 anos que as mulheres judias observam, ao saudar a chegada da Rainha Shabat, trazendo mais luz ao mundo.
Que este ato possa iluminar e inspirar uma futura paz eterna para o mundo e para todo o povo de Israel.
O dia que serve como fonte de bênção, uma preparação e inspiração para os seis dias de trabalho da semana, é naturalmente o Shabat. Desde que a base da vida judaica é a vida do lar; e o alicerce do lar é a mulher, é bem apropriado que a inauguração do Shabat tenha sido entregue em suas mãos, pelo acender das velas que introduzem no ambiente da casa a santidade do Shabat.



Disse D’us: "Minha Vela (a Torá ) está nas tuas mãos e a tua vela (a alma) está em Minhas Mãos; portanto, guarde a Minha Vela para que Eu guarde a tua vela"


. Luz versus escuridão:

Que resposta deu o povo judeu às adversidades no transcurso da História?
Os Salmos descrevem a reação ao cativeiro da Babilônia com as palavras poéticas: "Nas margens dos rios da Babilônia sentamos e choramos ao recordar Tsiyon. " Mas, esta descrição é interpretada pela maioria das pessoas errôneamente, pois as grandes academias de estudo e as elevadas conquistas filosóficas alcançadas na Babilônia não chegaram a ser superadas nem mesmo em épocas de prosperidade. Assim sendo não apenas houve choros nessa terra estranha, mas também foi criada uma obra monumental, o Talmud Babilônico.
Este cenário repetiu-se diversas vezes durante a história. Quanto maior era o problema, mais intensa era a reação espiritual que provocava.
Visitando uma boa biblioteca judaica pode-se tomar cada obra clássica e classificá-la segundo o período de obscuridade a que pertencia; pois oportunamente, ela serviu para iluminar as trevas da época.



“Shabat Shalom!” (A paz do Shabat!)


Fonte:

Texto da Coleção "Nossa Herança" Editora Chabad

Nenhum comentário: