4 de março de 2019

ASSOCIAÇÃO ISRAELITA SEFARADI: A HISTÓRIA JUDAICA EM SÃO GONÇALO – RJ




O primeiro proprietário foi um judeu que, por imposição da Santa Inquisição, converteu-se ao catolicismo em 1617

São Gonçalo, é um município da Região Metropolitana da Cidade do Rio de Janeiro, no estado do Rio de Janeiro. A ”Kahal Sefaradi Beit Lichior Shalom” é uma comunidade Judaica Tradicional no município e tem como líder espiritual o Rabino David Levy Farini.


O casarão foi construído em estilo barroco e conta com 38 cômodos, incluindo quatro no subsolo, onde ficavam as senzalas que abrigavam os escravos

No bairro de ”COLUBANDÊ” encontra-se a mais importante exemplar da antiga arquitetura rural brasileira, a fazenda Colubandê que é considerada a construção mais antiga conservada no Estado. Tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 23 de março de 1940. A Fazenda Colubandê foi construída no século XVII por Catarina Siqueira, proprietária do Engenho Nossa Senhora de Mont ́Serrat, depois Engenho Colubandê e, atualmente, com o nome de Fazenda. A Fazenda do Colubandê é um dos monumentos históricos mais bem preservados de São Gonçalo. 

Parte da sesmaria doada ao colonizador Gonçalo Gonçalves, teve seu engenho vendido ao cristão novo Ramirez Duarte de Oliveira, que mudou de nome a fim de fugir da Inquisição. Em 1713, a fazenda foi confiscada pela igreja e entregue aos jesuítas.

O primeiro proprietário foi um judeu que, por imposição da Santa Inquisição, converteu-se ao catolicismo em 1617. Em meados do século da sua construção, Catarina Siqueira vendeu a fazenda para o judeu Benamyn Benevitis, que foi convertido ao cristianismo (CRISTÃO NOVO) recebendo o nome de Ramires Duarte Leão.


Os historiadores presumem que sua construção seria anterior ao ano de 1620

. Importância histórica:

A Fazenda Colubandê é uma das fazendas coloniais mais importantes do Brasil. A sua história começou no século XVII quando foi comprada por Duarte Ramires de Leão e ali sua família viveu até o século de XVIII, tornando a propriedade em uma das maiores produtoras de cana-de-açúcar da região. Os historiadores presumem que sua construção seria anterior ao ano de 1620. O casarão foi construído em estilo barroco e conta com 38 cômodos, incluindo quatro no subsolo, onde ficavam as senzalas que abrigavam os escravos.


Em meados do século da sua construção, Catarina Siqueira vendeu a fazenda para o judeu Benamyn Benevitis

Também pertencente ao conjunto se encontra a Capela de Monserrate, que depois passou a se chamar Capela de Santana, erguida originalmente para o batizado do filho de Duarte Ramires de Leão, no ano de 1618. Diante de toda a sua importância histórica, cultural e arquitetônica (sendo um dos únicos imóveis no brasil com arquitetura setecentista preservada localizada em área urbana), a Fazenda Colubandê foi tombada pela União desde 1940.
A Fazenda Colubandê foi tombada em 1939. Sua sede tem um valor expressivo e é um marco da arquitetura rural brasileira em virtude da sua beleza e mais, da sua importância sócio-cultural.

. Localização: 

Rodovia Amaral Peixoto Km 10 – Colubandê, São Gonçalo – RJ

. Fonte:

Edição - 25 de outubro de 2016

https://esefarad.com/?p=74408

Um comentário:

Unknown disse...

Interessante esse fato. O senhor conhece o cemitério judaico nessa cidade? Nunca houve sequer um comentário sobre ele em algum lugar. Difícil haver menções sobre ele pelo menos nas minhas modestas pesquisas. Ele fica no centro da cidade e é chamado pelos moradores de "cemitério dos gringos". Modesto, simples e discreto.